Fintech: a reinvenção dos bancos na era digital

Fintech-a-reinvençao-dos-bancos-na-era-digital

Por Maria Luisa Lobo

Sob um cenário marcado por processos burocráticos e altos juros surgiu a necessidade de inovações na área financeira. Originando, assim, o movimento de reformulação da maneira de se lidar com o dinheiro, criado pelas empresas denominadas fintechs.

Esses modelos de empresas, recém-criados no mercado, exploraram uma cultura digital consolidada mundialmente para fornecer facilidade, eficiência e baixo preço em diversos serviços bancários. As cartas de serviços dessas empresas são amplas e inovadoras e possuem itens tais como o controle financeiro online, solicitação de empréstimos, cartões de crédito sem anuidade, entre outros.

A imersão desse modelo de negócios no mercado resultou em impactos marcantes, tanto para os consumidores, quanto para as grandes companhias. A praticidade e o baixo valor dos juros cobrados pelas fintechs são um diferencial preponderante para o sucesso das organizações. Elas, porém, vão além disso, tendo em vista que os serviços são voltados para a experiência dos clientes, possuindo, assim, um atendimento transparente e menos burocrático.

No entanto, o mercado bancário poderá sofrer com o advento deste modelo, uma vez que esse possui uma ideia de reinventar o sistema financeiro, tornando os bancos, em alguns aspectos, obsoletos. A solução para acompanhar essas mudanças no mercado vem sendo a filiação de grandes bancos com empresas fintechs. “Eles não têm saída, ninguém vai escapar desse movimento. A tecnologia está vindo como uma bola de neve. À medida que vai ganhando escala, vai ficando mais importante, e você precisa correr atrás” disse o vice-presidente do Nubank.

De acordo com o Valor Econômico, houve um aumento de 87% do número de empresas desse modelo no ano de 2016 para 2017. Os ecossistemas de fintechs estão crescendo em uma esfera global, e com ela também cresce o confronto com grandes companhias já estabelecidas no mercado, representando uma grande mudança nesse setor.

Mas afinal, qual a influência desse movimento na vida dos microempresários? A concessão de crédito para estes ficou mais simples, indo de uma faixa de R$ 400,00 até R$ 15.000,00 como é feita pelo startup Avante, que é voltada para empreendedores que possuem um negócio formal ou informal. O verdadeiro intuito é fornecer crédito para aqueles que não alcançaram sucesso nos serviços financeiros tradicionais. O fomento do empreendedorismo é essencial em um país em que a atividade empresarial é travada pela burocracia. Sendo que, atividades desta natureza são fundamentais para o desenvolvimento tanto do indivíduo em questão, quanto para o mercado do país.